Evento constante

Depois de ler Zizek sobre a dessubstancialização das substâncias essências das coisas, tais como o café descafeinado, o leite sem gordura, a cerveja sem álcool, etc., é impossível deixar de ver na nossa sociedade o consciente&engajado exercício conjunto de alienação sistemática em relação ao que é fundamental. Trata-se, segundo o filósofo, de privilegiar a quantidade em detrimento da qualidade: consumir mais, muito mais, daquilo com o qual se havia naturalmente estabelecido certa medida; e a joia-da-coroa atual é o chocolate diet com laxante – veneno&antídoto, juntos&disponíveis à contemporânea fome dissociada da vontade comer&cagar.

A própria ideia de amizade, outrora patrimônio indispensável à sobrevivência mundana e psicológica, foi pervertida, graças às redes sociais, em objetos rasos e inodoros; às centenas, à distância&intensidade de um “touch”, dispensando interação presencial e conversas autênticas. O novo grito memético facebookiano são os muitos eventos virtuais pró&contra – ou nem – qualquer coisa. Eles são os encontros comemorativos perfeitos para os “amigos” que nunca se encontram para comemorar nada. A festa se resume ao convite, para que, finalmente, possamos “participar” de todos os eventos, com todos os “amigos”, justamente por ambos não ocuparem mais tempo e espaço algum: esvaziados de si mesmos.

Aonde esse esvaziamento estrutural leva as pessoas? De primeira, a resposta zizekiana seria: ao empanturramento com vazio, à saciação com o nada das coisas! Entretanto, de forma mais profunda e consistente, estamos às portas da necessidade de uma nova gramática que contemple apropriadamente essa inver[perver]são da realidade que nos contém. Pois, se chamamos inadvertidamente de “eventual” aquilo que é “insistentemente presente”, bem como de “coisa” aquilo que não mais contém a “coisa-em-si”, queimamos nossas preciosas&precisas palavras com aquilo para o que elas não foram feitas. Ficamos, por conseguinte, nós e as palavras, órfãos de uma verdade substancial, sensível, imediata e necessária à compreensão do que se tratam as “coisas-em-si-em-suas-essências-essenciais”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s